Lançamentos e novidades da New Pop

Zumbis, clássicos, jogos, mangás nacionais, um livro e muito CLAMP.

  Ao longo dessa semana a New Pop veio à público anunciar suas novidades. Entre os dias 9 e 13 de abril todo dia uma novidade foi anunciada pela editora. E por estar em semana de provas pra ficar não ficar floodando sobre o mesmo assunto todo dia resolvi condensar tudo em um post só (no qual também falarei sobre o que vem por aí pela JBC). Sem mais delongas, vamos lá:

Segunda – Feira: Requentando pauta  Foram reveladas as capas de dois títulos já anunciados anteriormente (há mais de um ano!). São eles Red Garden, seinen de 4 volumes, e Made in Heaven, shoujo com 2 volumes.

Terça-Feira: #TezukaDay   Seguindo com a parceria da editora com a Tezuka Productions, depois de lançarem “Metrópolis” e “Dororo”, mais três títulos do “pai dos mangás” foram anunciados, sendo eles uma continuação, uma adaptação literária e uma continuação.

  Uma das novidades é A Nova Princesa e o Cavaleiro, de 1958, continuação direta de “A Princesa e o Cavaleiro” (infelizmente já publicado no Brasil pela JBC) e conta com apenas um volume. A adaptação se trata da versão em mangá (também em volume único) do livro Crime e Castigo, do escritor russo Fiódor Dostoiévski, tendo ambas obras finais diferentes. Por último acompanharemos a saga de Simba Kimba, o simpático leão branco que foi separado de sua família, em 3 edições.

  Se não fosse pelo já citado “A Princesa e o Cavaleiro”, que saiu pela JBC, e por “Adolf” e “Buda”, lançados pela Conrad, A New Pop teria grandes chances de ser detentora exclusiva dos mangás do Tezuka aqui no Brasil. Alguém aposta em um relançamento dessas obras sob o selo New Pop futuramente?

Quarta-Feira: Games, games e… Um livro!  Nova parceria da editora, e dessa vez com a toda mercenária Capcom.

  Street Fighter Alpha, mangá de Masahiko Nakahira, contra em 2 volumes a jornada do jovem Ryu tentando suprimir seu alter-ego maligno.  Também em dois volumes teremos Street Fighter: Sakura Ganbaru!, do mesmo autor. O mangá conta a jornada de Sakura (personagem fanservice por excelência por ser uma colegial com saia curta/versão feminina do Ryu) em busca de seu treinador, que é, pasmem, Ryu! No caminho ela encontrará a rival Karin, Cammy, Chun-Li e outras personagens dos games que dão uma boa margem para o fanservice. Posso estar falando merda, mas parece ser o título passável da vez.

  Também foi anunciado a publicação do primeiro livro de Resident Evil. De autoria de S. D. Perry o título conta a história do primeiro jogo (o melhor <3) e alguns bastidores não vistos no game. Já li alguns trechos na internet e garanto: É obrigatório para qualquer fã da franquia! Personagens conhecidos fazendo piadinhas entre si e referências ao jogo estão lá para dar um toque a mais para quem já viveu os terríveis acontecimentos da mansão nos videogames. Foi o anúncio que mais me empolgou e espero que os outros livros também venham pela editora.

Quinta-Feira: Conteúdo nacional no mercado nacional de mangás… Quem diria?

  HANSEL & GRETEL, de Douglas MCT, RafiBluebunny e Fred Hildebrand parece que finalmente vai sair. Esse foi anunciado pela primeira vez em 2009 (!) e já teve até troca de desenhista no projeto nesse meio tempo. A história é um misto dos conto de fadas já conhecidos, mas com um toque macabro, vivenciadas por dois gêmeos que possuem algo de estranho que os outros personagens desconhecem.

  Quem aí já leu Machado de Assis? O Studio Seasons trará a adaptação em mangá da obra Helena, do consagrado autor nacional. Ambientado no Rio de Janeiro de 1850 esperem por uma narrativa cativante (se ela se manter fiel ao livro). Parece uma ótima pedida, vamos ver como será executado. Só digo que Dom Casmurro daria um ótimo seinen.

  Temos também Dead Zone, de Fabio Sakuda e Carlos Sneak, autores de Rapsódia (Ação Magazine). O título que contará com zumbis se passará em uma ilha deserta com personagens que são jovens… Japoneses. Li muita gente reclamando disso, mas, sinceramente, não vejo problema. A maioria do público que compra mangás nas bancas não participa de discussões acaloradas sobre a qualidade dos mesmos, muito menos reclama sobre páginas transparentes, etc. Visando o lado comercial é óbvio que colocar personagens japoneses em um mangá fica mais viável. Se não tiver um baita selo de “Mangá Nacional” tenho certeza que muita gente vai comprar e nem vai se tocar de que o produto é genuinamente brasileiro. O que me preocupa mesmo é, como anunciado no Facebook da editora: “E você pode participar da história, em um recurso inédito em que os leitores irão interagir com o protagonista e fazer parte da história!” Gugu em “Você decide!” returns? A premissa (zumbis! *-*) já é boa por si só e tem um grande apelo comercial, tomara que com essa “interação” eles não prejudiquem a obra.

Sexta-Feira: CLAMP feat. confirmação do óbvio

   Quatro títulos das senhoras do CLAMP foram anunciados. São eles: A Pessoa Amada (Watashi no Suki na Hito), volume único, título muito elogiado por tratar os personagens com simplicidade, sem nenhum poder sobrenatural, visando mais seu lado humano. Shunkaden – A Nova Lenda de Chun Hyang (Shin Shunkaden), também volume único, baseada em um conto coreano. O Homem de Várias Faces (Niju Menso ni Onegai!!) de 2 volumes, a história de um conhecido ladrão que tema particularidade de ele ser um garoto de nove anos que rouba para agradar às duas mães.

  Por último, Gate 7, que atualmente conta com dois volumes e está em publicação pela Jump Square (casa de Ao no Exorcist, Claymore e D.Gray-Man). Segundo sinopse oficial “Chikahito Takamoto, um jovem estudante, conhece em um templo de Kyoto uma guerreira chamada Hana, de uma sociedade secreta que enfrenta criaturas de outros mundos em Kyoto.” Sim, eu estava com preguiça de escrever. Tive a oportunidade de ler o primeiro capítulo quando saiu e digo que parece ser um título bem agradável. Nele já se tem [SPOILER] um beijo [/SPOILER] , coisa que ficou bem falada já que o grupo não costuma desenhar isso.

  Fato é que Gate 7 não é novidade para ninguém, visto que no ano passado o site oficial do CLAMP divulgou os países nos quais a obra fora licenciada e qual editora seria a responsável pelo mesmo. Apesar do claro “Brasil – New Pop” a editora insistia em não dar nenhum parecer claro até então.

  Os problemas de distribuição e atrasados nos poucos mangás com qual a editora trabalhava antes dos anúncios já eram preocupantes. Agora, a dúvida é, será que veremos esses 15 (!) novos títulos ainda esse ano nas bancas? Gosto da qualidade do material físico da editora, e estou confiante que ela pode sim melhorar seus pontos negativos. Agora, New Pop, estamos de olho para ver como se sairá com tantas coisas nas mãos e tão pouco tempo (faltam só 8 meses para acabar o ano, e isso em termos de lançamentos é um prazo apertadíssimo).

Anúncios

4 pensamentos sobre “Lançamentos e novidades da New Pop

      • Putz, não curto livros, vejo aquelas centenas de letras que me esperam e fico morrendo de preguiça, sou mais mangá ou HQ mesmo!
        Mas quando lançar o mangá do Resident por aqui, irei comprar com certeza, ja que tambem sou fã da série!

      • Vixe, então como lê esses posts grandes? xD
        Ah, ta aí uma boa sugestão para começar a gostar dos livros, poxa. Se é fã da série é um item quase que obrigatório. Não vai se arrepender quando chegar na piadinha do “Jill Sandwich”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s