Análise: Magi, the Labyrinth of Magic

Um Mangá para quem está cansado de clichês e falta de criatividade!

Lembram-se de quando éramos crianças, e as histórias maravilhosas das Mil e Uma Noites nos faziam sonhar com gênios, tesouros escondidos, e civilizações do deserto? Pois bem, Magi é uma série que toma por base todos esses conceitos, provindos do oriente médio, e os trabalha com destreza, sendo este um mangá digno de apreciação em massa.

Sendo um Shonen, criado por Shinobu Ohtaka, e publicado na Shonen Sunday (mesma revista de Kekkaishi), Magi tem adquirido certo sucesso pelas terras nipônicas, atualmente no 12° volume de publicação, a séria é uma forte candidata para se tornar um anime, e ganhar fama mundo afora.

Com vários elementos interessantes e divertidos, Magi consegue nos cativar rapidamente, logo em seus primeiros capítulos – apesar do traço não muito atraente – com pequenas histórias, retratando o ambiente por onde a saga se passa, a Arábia.

Apesar de a história ser narrada em um local de extrema aridez, nem sempre os cenários são de desertos, ou Oásis. Existem também castelos e Reinos diferentes ao percorrer da história, assim como um vasto leque de personagens a serem apresentados (não tanto quanto Bleach, é claro), e darem vontade de fazer cosplay, pois o character design dos mesmos é impressionante!

  Falando de personagens, temo como nosso aventureiro principal, Alladin (vulgo coisa fofa)! Que, possuidor de uma flauta e um tapete mágico, está a procura de novos amigos para seu Djinn (nome chique pra gênio da lâmpada), ou seja, novas lâmpadas. E no meio de sua jornada, encontra com Alibaba, que ainda não tem 40 ladrões como parceiros, um mercador gentil e solitário, que pensa apenas em conseguir fama ao ”conquistar” uma Dungeon, local onde são encontradas ”Lâmpadas Mágicas”. Alladin, por sua vez, também sólitário, tendo como amigo apenas Ugo, seu Djinn, forma um grupo juntamente com Alibaba, e ambos partem para uma aventura na Dungeon. Possuindo muitos mais personagenao percorrer da história, outra das mais importantes é Morgianna. Uma ex-escrava que já lutou contra Alladin e Alibaba, enquanto estava do lado de seu Amo.

Ao longo da história, entendemos melhor o significado da existência dos Djinns, e o sentido do título do mangá, enquanto Alladin se mostra como um dos personagens de mais caráter da história dos mangás, sendo este capaz de parar guerras, sem ao menos se utilizar de seus poderes, ou de auxiliar a libertação de diversos mercadores de escravos da arábia, mostrando o erro ao inferiorizar um ser humano. Alladin, é, com certeza, um personagem bem construído, e que conquista o coração de quem lê sua história.

Mesmo a obra como um todo, ser considerada um Shonen, ela trata de assuntos peculiares ao estilo, como a política, onde em uma certa parte da história, Alibaba é capaz de derrubar a Monarquia imposta em um certo país, pois esta estava prejudicando a Harmonia da sociedade local. Também nos é apresentada a soberania de países alheios, como o império de Kou (que, ao meu ver, é a China do mundo Real), que visa expandir seus domínios pelas terras árabes, e aumentar sua economia, através dos estados que dominará.

Contando com Celebridades das histórias das Mil e Uma Noites, como Sinbad, Alibaba e Alladin, Magi é um título indispensável para aqueles que estão cansado da mesmice do mercado nipôico de mangás, que, a cada dia que passa, se torna o mercado dos Remakes e das reaproveitações de conceitos. Com poucos clichês aparentes, a história pode cativar ao se ler apenas poucos capítulos, seja pelo seu humor contagiante, ação equilibrada, ou história profunda e até mesmo pela vontade de ver os vilões da saga apanharem!

Recomendo à todos, sem nenhum pingo de medo de não gostarem!

Anúncios

5 pensamentos sobre “Análise: Magi, the Labyrinth of Magic

  1. sim, magi é um ótimo mangá e possui uma historia totalmente diferente dessas baboseiras que andam sendo publicadas no japão. ela possui enredo e personagens carismáticos (coisa que anda muito rara atualmente). linda a analise, xtreme divider maravilhoserrimo ❤

    • Magi é um otimo manga mesmo,eu amo ❤ me cativou porque é diferente dessa mesmice que anda sendo os lançamentos do japão u.u tem uma historia incrível e os personagens igualmente incríveis,principalmente o alladin aquela coisa mordivel de fofura *3*

  2. Pingback: Magi – The Labyrinth of Magic tem seu anime anunciado! « Xtreme Divider

  3. Pingback: Magi: The Labyrinth of Magic ganhará jogo para 3DS | Xtreme Divider

  4. Você poderia ter comparado com outras séries para que eu pudesse medir como esse Magi é… Do tipo, falar “aborda política como a série X”, “o personagem é cativante como o personagem Y da série Z”. Sem isso sua análise fica meio flutuante, sem nada concreto palpável…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s